Governo do Estado do Ceará Atlas Eletrônico dos Recursos Hídricos do Ceará Atlas Eletrônico
Projeto de Irrigação: BAIXO ACARAU
PROJETO BAIXO ACARAÚ 1ª ETAPA
APRESENTAÇÃO DO PROJETO
Localização Situa-se na região norte do Estado, no trecho final da bacia do 22’ de? 01’a 03?Rio Acaraú. Geograficamente é definida pelas coordenadas 03 09’de longitude oeste de? 01’a 40?latitude sul e 40 Greenwich
Bacia Hidrográfica Acaraú
Municípios Inseridos Acaraú, Bela Cruz e Marco apresentando uma população de 90.277 habitantes.
Acesso O acesso ao projeto é feito por rodovias pavimentadas. Partindo-se de Fortaleza pela BR-222 até a cidade de Umirim, deste ponto segue-se pela rodovia estadual CE-016, e pouco antes de chegar à cidade de Morrinhos, encontra-se o entroncamento com a CE-161/BR-403, a qual atravessa a área do Projeto no sentido Morrinhos- Acaraú, sendo de aproximadamente 210 km o percurso Fortaleza- Macro.
CARACTERÍSTICAS DO PROJETO
Área Irrigável 8.440 ha
Distribuição dos Lotes • Pequenos Produtores

- 482 lotes de 8 ha;
- ocupa uma área de 3.856 ha que equivale a 49% do total.

• Técnicos Agrícolas

- 52 lotes de 16 ha;
- ocupa uma área de 832 ha que equivale a 11% do total.

• Empresários
- 39 lotes de 80 ha
- ocupa uma área de 3.120 ha que equivale a 40% do total.

Sistema de Irrigação Aspersão Convencional e Gotejamento.
Fonte Hídrica Rio Acaraú, perenizado no trecho, pelas águas dos Açudes Públicos Araras e Serrote, hoje denominados de Paulo Sarasate e Edson Queiroz, respectivamente.
Modelos de Exploração Agrícolas Os modelos de cada lote foram utilizados os seguintes critérios:

• Recomendação da tecnologia já testada;
• Consideração de um calendário de plantio que satisfaça as exigências climáticas das culturas;
• Previsão de um sistema de mecanização completo para os modelos utilizados em função das práticas culturais conhecidas como adequadas nas regiões tropicais;
• Foi considerado um índice de 1,75 ano/ha de intensidade do cultivo (relação área plantada/área física).
Culturas Algodão, Feijão, Tomate, Maracujá, Amendoim, Manga, Melão, Citrus e Cenoura.
Distribuição da Área • 44,7% com colonos em lotes com área média de 8 ha, irrigados por aspersão convencional;
• 10,7% com técnicos agrícolas ou agrônomos em lotes com área média de 16 ha, sendo 8 ha irrigados por aspersão convencional e 8 ha por gotejamento;
• 40% com empresários em lotes com área média de 80 ha, dos quais 30 ha deverão ser irrigadas por gotejamento e 50 ha por sistema de pivô central.
• 4,6% com reassentamentos em lotes com áreas médias de 2 ha e 4 ha, irrigados por aspersão convencional.
• Serão instalados 04 núcleos habitacionais dotados de infra-estrutura urbana e de apoio à produção, abastecimento d’água, rede viária básica e abastecimento de energia elétrica.
INFRA-ESTRUTURA DO PROJETO
A Infra-Estrutura Hidráulica Principal do Projeto Baixo Acaraú compreende todo o sistema de captação e adução de água, formada pela barragem de derivação Santa rosa, pela Estação de Bombeamento Principal, pelas Adutoras Principais e pela Rede Principal do Perímetro.
A captação de água será feita através da Barragem de Derivação Santa Rosa, situada sobre o rio Acaraú, 1,5 km a jusante da cidade de Macro.

Volume Útil....................................200.000 m3
N. A. Normal....................................14,20 m
Cota de Crista..................................19,00 m
Altura.................................................5,75 m
Extensão..........................................82,50 m
Comportas...................................... 05 (tipos radiais)
02 (tipos corrediças)

A Estação de Bombeamento Principal situada ao lado da Barragem Santa Rosa, a montante, na margem direita, captando a água do Canal de tomada e recalcando à área irrigada.

Vazão Total.................................... 16,80 m3/s
Vazão na Primeira Etapa................ 10,50 m3/s
Tipo de Bombas.............................. Eixo vertical
Número de Bombas......................... 05 unidades (1ª Etapa)
Vazão Nominal................................ 2,10 m3/s
Alt. Manométrica Total.................... 46,00 m.c.a
Potência dos Motores...................... 1.800 c.v.
Tensão dos Motores........................ 13.800 V

A Adutora Principal possui as seguintes características:

Comprimento.....................................1.640 m
Diâmetro.............................................2.500mm
Material..............................................Aço Carbono
Velocidade Máxima.............................2,14 m/s
Proteção Contra Transientes Hidráulicos
Tanque Amortecedor Unidirecional e Chaminé de Equilíbrio

Canais de Distribuição com Elementos de Regulação

Extensão do Canal Principal (total 1ª etapa)..................20,32 km/ 9,46 km
Extensão do Canais Secundários (total 1ª etapa)...........35,54 km/ 30,97 km
Número de Comportas...................................................8 (5 na 1ª etapa)
Número de vertedouros "Bico de Pato"......................... 20 (7 na 1ª etapa)
Capacidade Total dos Reservatórios.............................18.500 m3 na 1ª etapa
Revestimento (Geomembrana e Concreto 5 cm)..........245.000 m3 cada
Escavação....................................................................705.000 m3
Aterro............................................................................700.000 m3

Tipo de Regulação- Comportas

Sistema de Regulação e Controle comandado por QLS’s Sistemas locais de controle com regulação a jusante onde 4 comportas são governadas por nível próximo a jusante (comportas 1,2,4 e 5) e as outras 4 pelo nível em reservatório à jusante. A comporta 1 muda na etapa 2. Toda informação da situação das comportas e dos níveis dos canais e reservatórios é transmitida a um centro de controle, o qual pode comandar a operação das comportas.

Infra-Estrutura Parcelar

A infra-estrutura parcelar é composta pela infra-estrutura dos lotes Empresariais (80 ha), técnicos (16ha), colonos (8 ha) e Reassentados (4 há e 2 ha). Compreende também as estações individuais de pressurização e as linhas fixas e móveis, de sistemas convencional de aspersão.

Rede de Distribuição

Extensão..............................................116,50 km
Diâmetro Máximo.................................800 mm

Sistema de Regulação e Controle

Comprimento Total de Condutos..............35.000m


INFRA-ESTRUTURA DO PROJETO
Sistema Viário A estrada principal que dá acesso e entrecorta toda a área do Projeto Baixo Acaraú 1a etapa é a CE-161/BR-403, rodovia pavimentada com boas condições de conservação. Partindo desta rodovia existe atualmente uma malha de estradas vicinais carroçáveis que cortam a área do projeto. A rede viária é composta por 22,9 km de estrada principal, 17,4 km de estradas secundárias e 144,7 km de caminhos de serviço. São estradas com greide colado ao terreno natural sem nenhum revestimento. Além das estradas existentes que serão aproveitadas, planejou-se a construção de estradas principais, secundárias e caminhos de serviço. As estradas principais que margeiam os canais principais e adutoras principais terão plataforma de 6m com faixa de domínio de 12,00m e revestimento de cascalho compactado com espessura de 0,15m. As estradas secundárias terão plataforma de 4,80m com faixa de domínio de 8,00m e serão revestidas com cascalho compactado com espessura de 0,15m.
ESTRADA
SUBPROJETO- 5
(metros)
SUBPROJETO- 6
(metros)
TOTAL
Principal 5.175,11 9.885,04 15.060,15
Estradas Secundárias 34.115,11 37.440,00 71.555,11
Total 39.290,22 47.325,04 86.615,26
Sistema de Drenagem A rede de drenagem do projeto, de 4,5 km de extensão, limita-se apenas à drenagem superficial já que os solos são de textura arenosa, com elevadas taxas de infiltração.

Características dos Drenos:

Extensão........................... 4,50 km
Volume da Escavação.......36.972 m3

DRENO/OBRA
VAZÃO/TRECHO
VOLUME DE ESCAVAÇÃO (M3)
LOCALIZAÇÃO
D17/DS4 11,00 212,13 SP-5
D18/DS3 11,00 255,86 SP-5
D19/DS13 4,50 64,00 SP-6
D20/DS14 4,00 79,44 SP-5
D21 1,47 1.074,00 SP-5
D22 1,00 427,00 SP-5
D23 2,00 564,00 SP-5
D24/D25 4,00 375,34 SP-6
Sistema Elétrico Linha de Transmissão de 69 kv..........................................85,00 km

Subestações 69/13,8 kv.................................................... duas unidades

Rede de Distribuição em Alta e Baixa................................Km

Rede de Distribuição Urbana.............................................quatro núcleos
INFRA-ESTRUTURA URBANA

• 04 Núcleos Habitacionais

• Serviços: Rede Viária Básica:

- Abastecimento d’água
- Infra-estrutura de apoio à produção
- Saneamento com Tratamento de Águas Servidas
ASPECTOS CLIMATOLÓGICOS DO PROJETO
Clima Quente de alto poder evaporante classificado segundo o sistema de köppen em AW – tropical chuvoso, segundo os critérios de GAUSSEN é do tipo 4b Th, termoxeroquimênico, de caráter médio com estação seca de seis meses e índice xerotérmico de 150.
PRECIPITAÇÃO MÉDIA ANUAL (mm) 900
TEMPERATURA MÍNIMA ANUAL (oC) 22,8
TEMPERATURA MÉDIA ANUAL (oC) 28,1
TEMPERATURA MÁXIMA ANUAL (oC) 34,7
INSOLAÇÃO (h/ano) 3.000
UMIDADE RELATIVA MÉDIA ANUAL(%) 70
VELOCIDADE MÉDIA DOS VENTOS (m/s) 2,10
EVAPORAÇÃO ANUAL TANQUE CLASSE A (mm) 1.600
ASPECTOS FÍSICOS DO PROJETO
SOLOS
A Infra-Estrutura Hidráulica Principal do Projeto Baixo Acaraú compreende todo o sistema de captação e adução de água, formada pela barragem de derivação Santa rosa, pela Estação de Bombeamento Principal, pelas Adutoras Principais e pela Rede Principal do Perímetro.
RELEVO E TOPOGRAFIA
O relevo dos tabuleiros é relativamente plano e suavemente ondulado com altitudes compreendidas entre 56 e 36 metros, com declividade sul/norte de aproximadamente um metro por quilômetro, vertentes longas com declividades inferior a 5%. Possui cartas topográficas na escala 1`:5.000, elaboradas a partir de restituição aerofotogamétricas e apoio topográfico de campo.
CARACTERIZAÇÃO SÓCIO-ECONÔMICA
EMPREGOS GERADOS Durante a construção – Diretos: 618

Indiretos: 1.236

Na irrigação - Diretos: 16.878

Indiretos: 33.756

POPULAÇÃO BENEFICIADA 101.268 habitantes
RENDA MÉDIA LÍQUIDA ANUAL/hectare (ha) US$ 2.200,00
PRODUÇÃO AGRÍCOLA A exploração agrícola está centrada em produtos de alto valor específico, especialmente frutas, utilizando tecnologia de ponta, tanto na fase produtiva como na pós-colheita, garantindo, assim, a necessária competitividade nos mercados interno e externo.
VANTAGENS COMPARATIVAS (MERCADO) Por estar geograficamente mais próxima de grandes mercados consumidores e importadores como os Estados Unidos e a Europa, a região onde está localizado o Projeto Baixo Acaraú, apresenta vantagens consideráveis no comércio internacional.

Do ponto de vista interno, a posição de meia distância entre o norte e o sudeste do País favorece também o escoamemento da produçãoe as condições de comercialização.
ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS Existem áreas disponíveis nos núcleos habitacionais destinadas a armazéns, escolas, postos de saúde, etc. A implantação destas estruturas, bem como os serviços a serem prestados, serão de responsabilidade dos governos estadual, municipal e da iniciativa privada.
GESTÃO DO PROJETO O novo modelo de gerenciamento das áreas irrigadas a ser adotado pelo projeto será concretizado através de um mecanismo institucional denominado "Distrito de Irrigação" , onde os usuários devidamente organizados e capacitados, substituirão o Estado na sua administração, por delegação de competência.
OBSERVAÇÕES
ANTECEDENTES Os estudos de viabilidade que subsidiaram a elaboração do Projeto Executivo, podem ser assim caracterizados, cronologicamente:

1978 – As pesquisas iniciais, capitaneadas pelo DNOCS e Empresa SEEBLA, foram desenvolvidas no sentido de analisar o perfil do aproveitamento hidroagrícola do vale, através da formulação do Plano Diretor da Bacia do Rio Acaraú, compreendendo uma área de 40.000 há.

1987 – O Estudo de Viabilidade do Vale do Acaraú, centrou-se numa área de 28.000 ha, sendo o Consórcio TECNOSOLO/EPTISA, responsável pelo mesmo.

1989 – O Projeto Básico do Vale do Acaraú, abrange a irrigação de uma área de aproximadamente 12.700 ha, dividida em duas etapas. A primeira contemplando 8.439 ha e a segunda 4.261 ha. O Consórcio TECNOSOLO/EPTISA sistematizou o Projeto, sendo posteriormente aprovado pelo BUREC – DNOCS – BIRD.

A nível de Projeto Básico, optou-se pela captação no Rio Acaraú, com a adução das águas através de canais e pela irrigação por pressurização individual.

A 1a etapa está sendo construída de acordo com as instruções do Banco Mundial, onde foram feitas várias licitações: Obras Civis e Montagens; Supervisão das Obras e Montagens; Fornecimento da Adutora Principal e Barrilete; Montagem da Adutora Principal; Fornecimento das Grandes Bombas; Fornecimento dos Equipamentos Hidromecânicos para todo o projeto; Fornecimento dos tubos de PVC com diâmetro menores que 300mm da rede de distribuição; Fornecimento dos tubos de ferro fundido com diâmetro maiores ou igual a 300mm da rede de distribuição; Fornecimento e Montagem do Sistema de Automação e Controle; Fornecimento dos Equipamentos Elétricos; Fornecimento de Válvulas com Hidrômetros, Fornecimento de Bombas de pequeno porte e quadros elétricos; Fornecimento dos Barriletes das EB’s dos irrigantes; Fornecimento do Equipamento On Farm; Fornecimento dos Equipamentos das Subestações Elétricas; Fornecimento dos Materiais e Equipamentos das Redes Elétricas de Alta, Média e Baixa Tensão; Construção do sistema elétrico, etc.

Todos estas licitações demandam muito tempo e algumas delas ainda estão na justiça para julgamento, tudo isto agravado pela falta de um fluxo constante de recursos orçamentários, motivou o atraso da implantação da 1a etapa, que estava prevista para ser construída em 21 meses, já está com 35 meses e deve durar mais pelo menos, 1 ano.
ESTUDOS DISPONÍVEIS Os estudos do Projeto Baixo Acaraú (1ª etapa, encontram-se) na 2ªDR do DNOCS